A Cinderela é alemã?

quinta-feira 19 março 2009 às 09:15 pm | Publicado em Uncategorized | 1 Comentário
Poster do musical "Cinderela", da Disney

Poster do musical "Cinderela", da Disney

O que você acha que tem em comum os famosíssimos contos de fada Branca de Neve, A Bela Adormecida, Rapunzel e Cinderela? Talvez só a Bíblia tenha conquistado mais leitores do que eles! Mas há outra coisa: todos foram publicados oficialmente pelos alemães Jakob e Wilhelm Grimm, os famosos irmãos Grimm.

Digo “publicados oficialmente” porque eles não foram os autores dos contos, e a grande maioria das pessoas ignora esse fato. Os irmãos costumavam convidar contadores de histórias para irem a sua casa, e então transcreviam as maravilhas que ouviam.

Assim sendo, eles apenas converteram em texto escrito as histórias do folclore alemão que eram passadas adiante através da oralidade. De qualquer modo, grandioso trabalho, não acham? Será que toda essa riqueza imensurável teria chegado até os quatro cantos do mundo sem a ajuda deles?

Não se pode dizer, entretanto, que a Cinderela é alemã. A origem da personagem perde-se no tempo, e a versão mais conhecida, incluindo as abóboras e a fada madrinha, foi uma adaptação de Charles Perrault. Na versão dos Grimm, o socorro à heroína vinha através de pássaros que representavam o espírito de sua mãe morta.

Além disso, os irmãos Grimm eram cientistas. Contribuíram com a área da Linguistica e escreveram o Deutsches Wörterbuch, um importante diconário da língua alemã que tinha por volta de 30 volumes e pesava aproximadamente 80 kg!

É, mesmo quem acha que os contos de fada são meros torrões de açúcar não pode deixar de admirá-los.

Anúncios

1 Comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. “É, mesmo quem acha que os contos de fada são meros torrões de açúcar não pode deixar de admirá-los.”

    É fato. Os contos de fadas acolhem diversas possibilidades interpretativas, dotados de uma complexidade semântica ímpar, de grande profundidade psicológica, contrariando uma suposta superficialidade que muitos ainda insistem em enxergar. Constituem verdadeiros catalisadores do desenvolvimento infantil, estímulos a um intelecto superior. E a mente de uma criança equipara-se a um campo fértil; se corretamente tratado e semeado, colher-se-ão frutos primorosos.

    Sobre o tema em questão, recomendo a leitura da obra “A Psicanálise dos Contos de Fadas”, de Bruno Bettelheim.

    Sem mais delongas, parabéns pelos excelentes textos. Tomei a liberdade de adicionar seu endereço à lista de favoritos em meu blog.

    Felicidades!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: